Filhos
Ferramentas

Os alimentos que são fontes da substância devem estar presentes na dieta das crianças para que ela seja equilibrada. Veja como fornecer carboidratos saudáveis para seu filho, sem risco de fazê-lo engordar além da conta

Eles são o combustível do corpo. E, justamente por essa razão, podemos avaliar o quanto as crianças necessitam deles. “Carboidratos são a base da alimentação, são os principais fornecedores da energia a ser utilizada pelo organismo nos processos de crescimento, desenvolvimento e atividades diárias”, explica a nutricionista Maria Angélica Monteiro Grecco, especialista em nutrição enteral e parenteral, de São Paulo. Portanto, alimentos como pães, arroz, massas, batata e mandioca devem, sim, fazer parte do prato do seu filho. O importante é respeitar algumas regras que farão com que seja ofertado a ele o melhor dos carboidratos. Afinal, esses alimentos, se não forem bem administrados, engordam (e muito!).

Energia para viver

A quantidade de carboidratos que deve ser comida diariamente varia, dependendo da idade e também do quanto de energia se gasta. “Crianças que praticam atividade física regularmente necessitam ter o consumo adequado de carboidratos, pois esse nutriente será responsável por maximizar o desempenho durante o exercício, e evitar o cansaço e a fadiga”, diz Angélica. Segundo a especialista, a ingestão correta desses itens evita que o organismo utilize proteínas de sua própria massa muscular para gerar energia, minando-as. Os carboidratos devem compor de 50% a 60% do total de calorias consumidas todos os dias pelos pequenos.

Sem risco de engordar

“Existem tipos de carboidratos que fazem mal à saúde e, se fizerem parte da alimentação diária da criança, podem acabar engordando sem nutrir, como é o caso das farinhas brancas presentes nos pães e massas”, esclarece Mariana Froes, nutricionista da Clínica de Nutrição Funcional Patricia Davidson Haiat, do Rio de Janeiro. Assim como para os adultos, a substituição das versões refinadas pelas integrais é altamente recomendável para evitar a obesidade nas crianças. Além, é claro, de incentivar nelas bons hábitos alimentares desde cedo.

A introdução dos integrais pode ser feita a partir de 1 ano de idade, quando a alimentação infantil passa a ser a mesma da família. Todos saem ganhando se trocarem o arroz, o macarrão e o pão comuns, por exemplo, pelas versões integrais, que, em relação às tradicionais, são muito mais ricas em nutrientes. “Esse produtos promovem saciedade e ajudam na saúde intestinal, que é importante para absorção de vitaminas e minerais, fundamentais para o bom funcionamento do organismo”, diz Mariana. Como os integrais levam mais tempo para serem digeridos, são ótimos aliados contra a obesidade, pois promovem saciedade e ajudam a manter a fome sob controle.

O melhor carboidrato

Os alimentos fontes de carboidrato são classificados segundo uma tabela de índice glicêmico (I.G.), pela qual esse fator pode ser baixo, moderado ou alto. Esses valores traduzem a velocidade com que os alimentos são digeridos e atingem a corrente sanguínea. Quanto maior o I.G., pior para o organismo: o pâncreas trabalha mais e produz picos de insulina, que é o hormônio responsável por metabolizar a glicose, seguidos de quedas bruscas. Isso é bem ruim para a saúde e, em casos extremos, pode culminar em diabete. Sem contar que a digestão rápida favorece o acúmulo de gordura corporal porque estômago vazio dá fome e, portanto, come-se mais.

As fibras presentes nos alimentos integrais fazem com que eles tenham uma digestibilidade mais lenta e menor índice glicêmico. E detalhe: de acordo com a nutricionista Angélica Grecco, quanto maior a variabilidade de grãos, melhor. Portanto, para a alimentação do seu filho e de toda a família, escolha aquele pão e aquela granola com tipos bem diversos de grãos. As frutas, principalmente aquelas que se pode comer a casca, também entram nesse grupo. Invista nelas!

Por outro lado, vale a pena controlar o consumo de pães e massas à base de farinha de trigo branca, batata e mandioca, bem como o de doces e sorvetes, que possuem I.G. alto. Esses itens devem ser consumidos esporadicamente. “Outro alimento a se evitar são os biscoitos. Eles são ricos não só em carboidratos que não nutrem, mas também em conservantes e corantes, que acabam fazendo mal à criança, sem contar que são cheios de açúcares”, alerta Mariana Froes.

Torne o integral mais gostoso

Veja algumas sugestões de Angélica Grecco para introduzir alimentos integrais na dieta do seu filho:

  • Trigo integral: use para fazer quibe e tabule.
  • Aveia: misture ao leite para preparar uma papinha ou um mingau.
  • Arroz integral: para facilitar a adaptação, sirva misturado ao arroz branco, meio a meio. Ou incremente com vegetais coloridos.
  • Macarrão integral: as crianças costumam gostar. Prepare ao sugo, à bolonhesa ou acrescente à sopa.
  • Cereais integrais matinais: sirva com leite ou iogurte. Coloque frutas picadas para dar sabor e colorir.
  • Farinhas integrais: use para preparar bolos, tortas e suflês.

Artigos Relacionados

5 Erros que os Pais Cometem na Hora de Educar 5 Erros que os Pais Cometem na Hora de Educar
Pode ser que você não perceba, mas, de vez em quando, repete os mesmos erros. Aprenda a identificá-los e corrigi-los. Depois de muito...
Fazer Refeições em Família Torna Crianças mais Confiantes Fazer Refeições em Família Torna Crianças mais Confiantes
Pesquisa feita com 34 mil crianças do Reino Unido investigou os benefícios que esse hábito entre as famílias pode trazer Como é o café da...
10 Razões para NUNCA deixar seu filho beber refrigerante 10 Razões para NUNCA deixar seu filho beber refrigerante
Muitos de nós têm optado por escolhas mais saudáveis ​​para nós e nossa família. Certamente não é um processo fácil deixar maus hábitos...
Entram em vigor novas regras para cesarianas nos planos de saúde Entram em vigor novas regras para cesarianas nos planos de saúde
Médicos terão que justificar necessidade da cirurgia, que não poderá mais ser marcada com antecedência Começaram a vigorar nesta segunda-feira...