Filhos
Ferramentas

Saiba por que isso acontece e como minimizar os efeitos dessa fase

Basta apagar a luz do quarto para seu filho começar a chorar? Calma, ele não é o único. O medo do escuro é comum na infância e começa a aparecer por volta dos 3 anos e desaparece, em geral, aos 7. O temor ocorre porque nessa idade as crianças têm a imaginação bastante aflorada e não conseguem distinguir a realidade da fantasia. Os temores podem vir após ler uma notícia, fazer um desenho, ouvir um conto de fadas e até um papo de adulto.

“No escuro, a criança fica mais propensa a imaginar possíveis perigos como, por exemplo, monstros nas sombras, vampiros voando sobre a cama e lobisomens na janela do quarto”, explica a psiquiatra Carolina da Costa, do Ambulatório de Ansiedade na Infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clinicas (SP).

O medo faz parte do desenvolvimento emocional do ser humano. É a reação de proteção que o organismo tem ao acreditar que algo possa lhe fazer mal. Por isso que, na hora de dormir, quando os pais não estão por perto e as luzes apagadas, esse sentimento aflora.

E se você acha que o medo é apenas ruim, saiba que ele tem, sim, suas vantagens. “O sentimento pode até ser benéfico para a criança, pois é assim que ela começa a formar o conceito do que é real. Quando os pais explicam que fantasmas não existem, por exemplo, ela entende que o que está vendo faz parte da imaginação”, diz Maria Dirce Benedito, mestre em psicologia do setor de Saúde Mental do departamento de pediatria da Unifesp (SP).

Como ajudar a criança

De acordo com a psicóloga Ana Lúcia Castello, do Hospital Infantil Sabará (SP), para ajudar seu filho a superar o medo, você deve confiar nele e, aos poucos, dar liberdade para que faça atividades sozinho, como arrumar a cama ou tomar banho. “As crianças precisam ser mais independentes para ter confiança e, consequentemente, menos medo”, afirma.

Também é fundamental conversar sobre o assunto para que ele se sinta menos vulnerável aos próprios pensamentos. Diga que tudo o que existe no escuro também existe no claro, portanto não há razões para temer.

Ao ver o filho vulnerável a um sentimento, é muito fácil cair na tentação e levá-lo para dormir com você. Mas esse não é o caminho, afinal a criança precisa aprender a lidar com emoções negativas.

Na hora de dormir, o melhor para ajudar o seu filho é ficar ao lado dele até que ele adormeça ou deixar um abajur aceso. Explique que monstros e bruxas não existem no mundo real, somente na ficção, e tenha paciência para contextualizar a situação, dizendo que o quarto é um ambiente seguro e que não há nada para temer. Outra dica é contar histórias para distraí-lo, mas, claro, nada de enredos assustadores.
Se o medo se tornar frequente ou incontrolável, é hora de pedir ajuda especializada

Artigos Relacionados

Você Tem Medo de Quê? Você Tem Medo de Quê?
Medo do parto, da saúde do bebê, de não perder o peso. A lista de preocupações na gravidez é grande, nós sabemos. Por isso, reunimos...
Tem Medo de Dentista? Cuidado para não Passá-lo para seu Filho Tem Medo de Dentista? Cuidado para não Passá-lo para seu Filho
Estudo mostra que receio dos pais pode, sim, ser transmitido para as crianças. Veja como evitar esse tipo de problema Você fica todo arrepiado...
10 Razões para NUNCA deixar seu filho beber refrigerante 10 Razões para NUNCA deixar seu filho beber refrigerante
Muitos de nós têm optado por escolhas mais saudáveis ​​para nós e nossa família. Certamente não é um processo fácil deixar maus hábitos...
Experiência coloca várias crianças de olhos vendados para saber se reconheceriam suas mães
O Dia das Mães passou e diversas campanhas surgiram abordando o tema. A marca de joias Pandora teve uma abordagem extremamente original e, claro,...